sexta-feira, 15 de julho de 2011

ALÉM DA NOVELA - IN MEMORIAN

Assistir uma novela como Vale Tudo traz boas recordações e um ar de extrema nostalgia. As saudades de um tempo que muitas pessoas nem viveram são inevitáveis e para quem viveu também. 23 anos se passaram e dos atores que nos encantaram novamente em nove meses de novela, muitos estão em outras obras como Antônio Fagundes, Regina Duarte, Glória Pires e até Beatriz Segall, depois de um longo recesso, pode ser vista em Lara com Z (Tv Globo, Aguinaldo Silva).

Mas alguns desses personagens que tomaram emprestada a vida de pessoas da vida real já não encontram mais os mesmos. No último capítulo de Vale Tudo no Canal Viva, o blog quer prestar uma homenagem a esses artistas que nos deixaram.


CLÁUDIO CORREA E CASTRO (Bartolomeu) - O velho jornalista ainda se manteve ativo por algum tempo na TV. Segundo o Wikipedia, o ator foi um dos recordistas em telenovelas, tendo participado de mais de 40 obras. Cláudio é lembrado por papéis como o Gugu de A Gata Comeu (Ivani Ribeiro, 1985) e o Anjo Gabriel em Deus nos Acuda (Sílvio de Abreu, 1992). Sua primeira participação na TV foi em 1968 na primeira versão de A Muralha (Ivani Ribeiro, Tv Excelsior). O ator sofria de diabetes e hipertensão, passou por dificuldades financeiras e chegou a morar no Retiro dos Artistas. Mesmo assim, em 2003 fez o excelente Banqueiro Klaus de Chocolate com Pimenta (Walcyr Carrasco, Tv Globo) e sua última participação em telenovelas foi em Senhora do Destino (Aguinaldo Silva, 2004). O ator faleceu em 2005 no Rio de Janeiro após uma cirurgia de colocação de ponte de safena.

FÁBIO JUNQUEIRA - Aparece só no início da novela como um pretendente de Leila (Cássia Kiss). O ator paulista, faleceu em 2008 aos 52 anos vítima de um edema cerebral. Fábio era pai do também ator Caio Junqueira e padastro de Jonas Torres que atualmente pode ser visto em Armação Ilimitada e mais velho em VAMP. O ator participou de 23 novelas e seu último trabalho foi em Escrava Isaura (Tiago Santiago, 2004).

FERNANDO ALMEIDA (Gildo) - Sua primeira aparição na TV foi na novela Olhai os Lírios do Campo (Geraldo Vietri, 1980), mas é muito lembrado também pelo Gibi, personagem da novela Livre Para Voar (Walter Negrão, 1984). Participou de 14 novelas, todas pela Rede Globo. Em 2004, foi brutalmente assassinado num ponto de ônibus do bairro Realengo no Rio de Janeiro. O ator teria se desentendido com outras pessoas num baile funk. Sua última participação na TV foi na novela A Padroeira (Walcyr Carrasco, 2001)

IVAN DE ALBUQUERQUE (S. Laudelino) - Importante diretor de teatro brasileiro. Fundou no Rio de Janeiro ao lado de Rubens Correa, o Teatro do Rio (Atual Cacilda Becker). Foi ao lado do parceiro profissional que construiu o Teatro Ipanema no local onde ficava o quintal da antiga residência de Rubens. Nos anos 60 trabalhou como ator no Teatro Oficina sob a batuta de José Celso Martinez Correa. Em suas mãos José Wilker e José de Abreu iniciaram a carreira. O crítico de teatro Yan Michalsky declarou certa vez: Um dos mais completos encenadores brasileiros (…), Ivan de Albuquerque também é um dos que conseguem equilibrar harmoniosamente um artesanato sólido e seguro e uma aguda capacidade de análise de textos com uma generosa abertura para linguagens novas e experimentais.
Faleceu em 2001, aos 69 anos, vítima de câncer no intestino. Sua última participação na TV foi em Zazá (Lauro César Muniz, Tv Globo, 1997)

LOURDES MAYER (D. Pequenina) - Irmã de Zilka Salaberry. Foi atriz, radialista e dubladora. Chamada pelos amigos de Anjo Bom, Lourdes foi estrela da era de ouro do radioteatro, na década de 50. Chefiou o setor de elenco da Tv Educativa. Faleceu em 1998 em decorrência de um efisema pulmonar. Sua última participação na Tv foi em Xica da Silva (Walcyr Carrasco, Tv Manchete, 1996)



PAULO PORTO (Queiroz) - O dono da revista Tomorrow era mineiro de Muriaé. Trabalhou como diretor, roteirista e produtor, foi um dos atores pioneiros do rádio e da televisão. Protagonizou Toda Nudez Será Castigada e O Casamento, da obra de Nelson Rodrigues sob direção de Arnaldo Jabor. Faleceu em 1999, aos 82 anos.



LEONOR BASSÈRES - Escritora de literatura infanto-juvenil, jornalista, crítica literária. Sua parceria com Gilberto Braga começou em 1980 quando foi convidada pelo novelista para transformar em livro a telenovela Água Viva. Depois deste trabalho, voltaram a trabalhar juntos em 1988 com Vale Tudo. A parceria durou por mais cinco novelas e só acabou quando a escritora faleceu em 2003 vítima de câncer no pulmão. Leonor continuou trabalhando em Celebridade mesmo em tratamento e desapareceu antes do fim da novela. A escritora ainda teve uma novela de sua autoria em 1990, Mico Preto e foi co-autora de Ricardo Linhares em Meu Bem Querer (1998).

ZENI PEREIRA (Maria José / Zezé) - A baiana de Salvador é muito lembrada por sua personagem Januária de A Escrava Isaura (Gilberto Braga, 1976). O que poucos sabem é que a grande atriz foi a primeira Tia Nastácia do Sítio do Picapau Amarelo, em 1952, pela Tv Tupi. Zeni ficou renegada a papéis de empregada e escrava nas telenovelas. Sua última participação na TV foi em Pátria Minha (Gilberto Braga, 1993). Faleceu em 2002, no Rio de Janeiro.



ZILKA SALABERRY (Rute) - Grande atriz de telenovelas brasileiras. Obteve grande destaque por sua Sinhana em Irmãos Coragem (Janete Clair, 1972), Donana Medrado, em O Bem-Amado (Dias Gomes) e a Dona Benta do Sítio  do Picapau Amarelo. Depois de uma participação num pequeno papel no Teatro Municipal de Niterói se encantou pela profissão e foi parar na companhia de Procópio Ferreira e depois fez parte da companhia de Dulcina de Morais. Foi a primeira atriz a tirar a roupa numa peça de teatro em 1950. Sua última participação na Tv foi na novela Esperança (Benedito Ruy Barbosa, 2002). Faleceu em 2005.


Por Jean Cândido Brasileiro

Um comentário:

  1. A esses nomes infelizmente tem que agregar a Adriano Reis (falecido em 2011) e a Sebastião Vasconcellos que nos deixou hà poucos dias.

    ResponderExcluir